Sibutramina: para que serve, efeitos colaterais e como age no corpo

A Sibutramina (cloridrato monoidratado de sibutramina) é uma substância indicada para pacientes que almejam perder peso. Para isso, ela atua no centro da saciedade do cérebro a fim de evitar a alimentação compulsiva. 

Somado a isso, a sibutramina consegue atuar diretamente no sistema nervoso central, promovendo a inibição da recaptação da norepinefrina, serotonina e dopamina, ambos neurotransmissores responsáveis pela sensação de bem-estar. A partir desse processo ocorre a diminuição da ansiedade e do apetite no paciente. 

Outro ponto de ação importante desta substância é na termogênese, o processo de geração de calor pelo corpo. Isto porque o corpo utiliza calorias para gerar calor, o que faz com que a pessoa tenha uma taxa de metabolismo basal maior e emagreça mais rapidamente. 

Contudo, vale ressaltar que o uso da sibutramina deve estar aliado a uma dieta saudável e a prática constante de exercícios físicos, pois sozinha ela não fará milagres. Além disso, essa mudança nos hábitos também é necessária para evitar o efeito rebote após o término do tratamento, que é quando a pessoa volta a ganhar peso.

Como é que a sibutramina emagrece?

Existem 3 principais funções que a sibutramina realiza no corpo humano promovendo a perda de peso, sendo elas:

  • Reduz o apetite;
  • Aumenta a sensação de saciedade;
  • Efeito termogênico, sendo responsável por acelerar o metabolismo no tecido adiposo, principalmente.

Todas essas funções são realizadas a partir da ação do medicamento na inibição da recaptação de neurotransmissores no sistema nervoso central, atuando de forma significativa na biodisponibilidade de adrenalina, noradrenalina e serotonina.

Por reduzir a recaptação desses neurotransmissores, o Reductil® prolonga a presença e ação dessas substâncias nos neurônios, estimulando a perda de peso.

Quais são as indicações desse medicamento e como utilizá-lo de forma correta?

A principal indicação da sibutramina é no tratamento de pessoas com excesso de peso ou obesas, em especial nos casos em que outras formas de intervenção convencional, como dietas e atividade física regular, não foram eficientes.

A obesidade é um grave problema de saúde pública no Brasil e no mundo. Além de ser uma condição que predispõe ao risco de desenvolvimento de outras doenças crônicas, como hipertensão arterial e diabetes mellitus, ela também aumenta o risco de morte, sendo responsável por mais de 160 mil óbitos por ano no país.

Dessa forma, tratar precocemente e de forma adequada esse problema é essencial tanto para reduzir a mortalidade, quanto para promover uma melhor qualidade de vida para os indivíduos que possuem excesso de peso.

Atualmente, a sibutramina é indicada para o tratamento de indivíduos com IMC (Índice de Massa Corporal) maior ou igual a 30kg/m². Além disso, esse medicamento também pode ser indicado para pacientes com IMC>25 kg/m²  nos quais as modificações comportamentais e alimentares não apresentam resultados significativos.

Como tomar sibutramina?

Para iniciar o uso da sibutramina, primeiramente, é importante se consultar com um médico para que o profissional avalie a necessidade dessa intervenção medicamentosa e para que ele indique qual a dosagem correta. Nunca tome esse medicamento sem orientação médica!

Geralmente, recomenda-se que a dose inicial seja de 1 cápsula de 10mg por dia, podendo ser alterada de acordo com a resposta do organismo do paciente. Se, durante as primeiras 4 semanas que sucedem o início do uso do remédio, não houver a perda de pelo menos 2 kg, o médico pode aumentar a dosagem para 15 mg por dia.

Ou ainda, nesses casos, pode ser indicado a descontinuação dessa medicação.

Usualmente, o indicado é que o medicamento seja tomado pela manhã. Porém, em caso de esquecer alguma dose, é importante ingerir a cápsula assim que for lembrada ao longo do dia, não trazendo prejuízos significativos para o tratamento.

Em quanto tempo são observados os resultados da sibutramina?

Em geral, espera-se que, nas primeiras 4 semanas de uso do medicamento, o paciente perca pelo menos 2kg. Nos primeiros 6 meses, os pacientes geralmente perdem de 10 a 15% do seu peso, sendo que, ao longo do tempo, há uma tendência a estabilizar essas taxas de emagrecimento.

Porém, mesmo com essa estabilização, é importante manter a medicação por mais um tempo, seguindo as orientações médicas, a fim de evitar engordar novamente.

Quando interromper o uso de Sibutramina?

A duração do tratamento com a sibutramina varia de paciente para paciente, de acordo com a resposta do organismo de cada um. Por isso, fazer o acompanhamento correto e frequente ao longo do uso desse remédio é essencial para que o médico avalie a necessidade de interrupção ou continuidade da medicação.

Apesar disso, a interrupção é indicada após 2 anos de tratamento.

Superdosagem: quais são os riscos

O limite diário de uso é de, no máximo, 15mg de sibutramina. Caso seja administrada uma dose maior do que a sugerida, alguns efeitos colaterais podem surgir, como:

  • Dor de cabeça (cefaleia);
  • Vertigem;
  • Taquicardia;
  • Aumento da pressão arterial.

Nessas situações, é necessário empregar medidas gerais de manuseio de superdosagem, como o monitoramento dos sinais vitais, em especial da pressão arterial e da frequência cardíaca e respiratória.

Caso seja administrada uma dose excessiva de sibutramina, é importante procurar um serviço de urgência e emergência, portando a bula ou embalagem do medicamento, se possível.

Contraindicações

As principais contraindicações de uso da sibutramina são:

  • Pacientes com diabetes mellitus com pelo menos um outro fator de risco, como hipertensão controlada, dislipidemia, tabagismo e nefropatia diabética;
  • Pacientes com história de infarto do miocárdio, insuficiência cardíaca congestiva, taquicardia, doença cerebrovascular, doença arterial obstrutiva periférica ou arritmia;
  • Pacientes com hipertensão descontrolada;
  • Idade acima dos 65 anos.
  • Uso de outros medicamentos para redução de peso ou para transtornos psiquiátricos.

Efeitos adversos

Alguns efeitos adversos podem aparecer com o uso da sibutramina, sendo os principais:

  • Taquicardia, palpitações, hipertensão, vasodilatação;
  • Constipação intestinal, náuseas e piora da hemorroida;
  • Insônia, boca seca, delírios, cefaleia, ansiedade e dormência;
  • Sudorese e alterações do paladar;

Mesmo sendo um medicamento que possui resultados positivos no controle do peso, é importante ressaltar que a sibutramina só deve ser utilizada seguindo prescrição médica para evitar possíveis efeitos colaterais ocasionados pelo uso inadequado dessa medicação.

 

Referências

Cloridrato de Sibutramina Monoidratado – EMS

Orlistat e sibutramina: bons coadjuvantes para perda e manutenção de peso? – Rev Bras Nutr Clin.

Uso dos anorexígenos anfepramona e sibutramina: Benefício ou prejuízo à saúde? – Revista Saúde-UNG-Ser.

Excesso de peso e obesidade causam 168 mil mortes por ano no Brasil – UNIFESP

Obesidade como fator de risco para morbidade e mortalidade: evidências sobre o manejo com medidas não medicamentosas – PAHO

Deixe um comentário