Hepatite A: o que é, sintomas, transmissão, tratamento e mais

hepatite a

Segundo o Boletim Epidemiológico de Hepatites Virais de 2020, que é publicado online anualmente pelo Ministério da Saúde, ainda que haja uma tendência de queda no número de infectados por hepatite A no Brasil, estima-se que há 0,5 caso por 100 mil habitantes ainda nos dias de hoje.

O número de casos tem caído muito nos últimos anos, grande parte graças à vacinação contra o vírus que acontece a partir dos 12 meses de vida. Em 2009, ainda de acordo com o Boletim, o número de casos por 100 mil habitantes beirava os 18, valor 36 vezes maior do que o atual.

Trata-se de uma infecção viral que atinge o fígado e provoca uma inflamação. Diferentemente de outros tipos de hepatites, a hepatite A não costuma evoluir para uma doença crônica, sendo, inclusive, considerada benigna, isto é, que não faz mal.

Entretanto, a manifestação de sintomas e a letalidade da infecção podem se intensificar com o passar do tempo. Por motivos como esse, conhecer bem esse problema é muito importante para prevenir problemas futuros.

Nas próximas linhas, você vai conferir em detalhes tudo o que precisa saber sobre essa infecção viral, como o que ela é, sua causa, forma de transmissão e muito mais. Confira!

O que é a hepatite A?

A hepatite A é um tipo de infecção causada pelo vírus A da hepatite (HAV). Seu maior risco está em sua forma “surpresa” de agir. Dessa forma, uma pessoa infectada pelo vírus da hepatite A pode não ter a manifestação de nenhum sintoma por anos.

Com o passar do tempo e o envelhecimento, o vírus pode atacar de forma aguda, ou seja, a pessoa em um momento está bem e de repente está com uma grave inflamação no fígado ou até mesmo a falência do órgão.

Pacientes idosos ou com alguma doença crônica configuram um grupo de risco para essa situação, uma vez que representam os casos mais graves. Além disso, em alguns casos, o paciente pode precisar de um transplante de fígado.

O que causa hepatite A?

A hepatite A é causada pelo vírus da hepatite A (HAV) que pertence à família Picornaviridae. Esse vírus se instala e se replica no fígado, excretado na bile — que é o líquido produzido pela vesícula biliar — e eliminado nas fezes.

Como ela é transmitida?

A transmissão da hepatite A ocorre por meio das fezes, uma vez que é o local de eliminação do vírus por quem está infectado. Dessa forma, quando elas entram em contato com a boca, há o risco de transmissão.

No entanto, isso não significa que as pessoas colocariam propositalmente as fezes de um ser humano na boca. Assim sendo, o que ocorre é que a transmissão se dá devido à ausência de um bom saneamento básico e higiene pessoal, sendo o meio de transmissão mais comum a água contaminada.

Uma outra forma de transmissão da hepatite A é por meio de contatos pessoais, seja entre pessoas que vivem em conjunto ou até mesmo pelo sexo. Além disso, as crianças infectadas podem continuar transmitindo o vírus até 5 meses após estarem curadas da doença.

Quais são os sintomas da hepatite A?

Normalmente, a hepatite A é um tipo de infecção viral silenciosa, ou seja, não costuma manifestar sintomas em quem está infectado até que seja tarde demais ou quase isso. Contudo, há casos em que aparecem sintomas inespecíficos cerca de 15 a 50 dias após a infecção. Confira quais são os mais comuns na lista a seguir:

  • Fadiga
  • Mal-estar
  • Febre
  • Dores musculares
  • Enjoo e vômitos
  • Dores abdominais
  • Constipação
  • Diarreia
  • Urina escura
  • Pele e mucosas amareladas (icterícia)

Vale destacar, novamente, que esses sintomas são inespecíficos, pois podem estar relacionados a diversas outras doenças e não necessariamente à hepatite A.

Portanto, consulte um médico caso tenha sintomas semelhantes, somente ele, por meio de exames e uma avaliação completa, poderá indicar se está ou não infectado por essa ou outra doença.

Como é o tratamento?

Não existe um tratamento específico para hepatite A. Desse modo, o que é tratado nessa doença são os sintomas manifestados por ela e não ela em si. Ainda assim, é muito importante que você evite a automedicação caso identifique algum dos sintomas da hepatite A, pois diversos medicamentos são metabolizados no fígado e isso poderia sobrecarregá-lo.

Quando identificada a infecção viral pelo HAV, o médico vai tratar os sintomas que o paciente estiver manifestando da melhor maneira possível, como a reposição de fluidos em casos de diarreia e vômito. Caso o paciente tenha uma insuficiência hepática aguda, a hospitalização será indicada.

Existem formas de prevenção?

A prevenção para hepatite A não só é existente, mas também o principal motivo do número de infectados pela doença estar diminuindo muito ano após ano. Dessa maneira, a principal forma de prevenção da hepatite A é a vacinação.

Em linhas gerais, a vacinação contra hepatite A é de dose única, aos 15 meses de idade. Contudo, ela pode ser aplicada até os 4 anos, 11 meses e 29 dias.

Somado a isso, existem outros pontos que são importantes para a prevenção da hepatite A e de diversas outras doenças, confira a seguir:

  • Lavar as mãos constantemente, principalmente após usar o banheiro
  • Lavar alimentos que são consumidos crus com água limpa ou fervida
  • Garantir que os alimentos consumidos estão bem cozidos
  • Certificar-se de que pratos, talheres e copos estão sendo bem lavados
  • Não construir fossas próximas a poços ou nascentes de rios
  • Usar preservativos e higienizar bem brinquedos sexuais

No geral, qualquer medida positiva para higiene pessoal e coletiva é bem-vinda quando o assunto é a prevenção de doenças como a hepatite A.

Compartilhe este artigo em suas mídias sociais e ajude que mais pessoas conheçam essa doença para erradicá-la do Brasil o quanto antes! Aproveite também para deixar um comentário aqui embaixo com a sua opinião.

Photo of author

Minha Saúde

Escrito pela equipe minhasaude.org em parceria com redatores e profissionais de Saúde ;)